Apostar nos nossos jovens é apostar no futuro


By |
Artigo de opinião publicado na edição n.º 725 do jornal “O Portomosense” (Setembro, 2012)

Ainda há quem tente acima de tudo introduzir uma imagem negativa nos nossos jovens, sem sequer reconsiderar que, afinal, não somos todos iguais.

Pessoalmente, é com grande satisfação que conheço jovens que lutam diariamente pelos seus direitos, que abraçam projectos de voluntariado e que dedicam parte do seu tempo a questões e problemáticas do nosso quotidiano. De facto, existem muitos exemplos em nosso redor que contrariam algumas ideias pré-concebidas e de senso comum, de que os jovens não possuem perspectivas de futuro, de que não se preocupam com o meio onde se inserem, entre outras.

Para o nosso primeiro-ministro e presidente da república, este país não é para jovens. As sucessivas medidas de austeridade muito para além das que nos foram impostas, estão a deixar muitas famílias sem margem de manobra. Não basta tentar ocultar o problema com propostas que visem facilitar o acesso ao subsídio de desemprego por parte dos jovens ou aconselhá-los a emigrar. É preciso crescimento económico! E para que ele exista é fundamental mais investimento, mais emprego e mais consumo. No entanto, deparamo-nos com a liberalização do mercado de trabalho e o aumento dos impostos, sendo que este último causou uma diminuição de receitas relativamente a igual período do ano anterior. Estamos no caminho certo? Onde estão os aclamados cortes nas «gorduras do estado»? São os cortes inconstitucionais dos subsídios de férias? São os aumentos das taxas moderadoras? São os encerramentos de valências hospitalares? De tudo aquilo que o actual Governo PSD/CDS-PP prometeu, resta-nos austeridade e o consequente empobrecimento das classes média e baixa.

Ao apostarmos em políticas de juventude, estaremos também a apostar no futuro de todos nós, pois os nossos jovens serão os médicos, empresários, polícias, bombeiros, do amanhã. É fundamental dotá-los de mais instrumentos que incentivem a sua participação activa na sociedade e valorizar as suas formações superiores em benefício do nosso país.

E é com bastante agrado que vejo que Porto de Mós está empenhado nesta aposta! Em 2009, por exemplo, foi inaugurado o “Espaço Jovem”, um edifício moderno dotado de computadores com acesso à internet, um pequeno auditório e ainda uma sala de exposições. A construção do Campo de Futebol Sintético, junto às piscinas municipais, que tem sido um importante veículo de promoção da prática desportiva. Destaco ainda a manutenção anual do Fim de Semana da Juventude de Porto de Mós que tem possibilitado a todas as crianças e jovens do concelho três dias repletos de actividades. Por outro lado, a autarquia também tem feito o seu papel a nível de acção social, ao assegurar diariamente centenas de refeições a crianças oriundas de famílias com menos recursos, ou ao oferecer transportes e manuais escolares.

E é com este espírito que devemos continuar a trabalhar activamente em prol do futuro das crianças e jovens do nosso concelho.